segunda-feira, 21 de março de 2011

Tempo não-linear

Tem coisas que entram na nossa cabeça de um jeito, que nunca conseguimos esquecer.
Existem duas lembranças gravadas no meu cérebro nerd muito específicas quando se fala da lienaridade do tempo.

A primeira delas (não a mais antiga, mas a mais marcante) vem da sagrada franquia de Star Trek. Em DS9, quando Sisko encontra pela primeira vez os Profetas de Bajor. (sim, eu sei que não dá pra deixar esse post mais nerd depois dessa frase.) A discussão é toda baseada do conceito falho dos seres humanos de que o tempo é uma linha reta por onde andamos do começo ao fim. Tempo é não-linear. Toda a história está acontecendo exatamente no mesmo instante.


A segunda, apesar de ser a mais antiga, vem de Quantum Leap, quando Sam Beckett (Scott Bakula, que depois seria capitão da Enterprise :D) explica que ele vê o tempo com uma linha, mas embolada como um novelo de lã. E que onde a linha do tempo se encostava, era possível atravessar de um segmento para outro.



A lembrança desses dois ícones Nerds na minha vida invadiram minha mente como um flash quando eu percebi que estava vivendo um momento de tempo não-linear alí mesmo, numa sexta-feira de chuva.

Depois de quase 6 anos, eu estava ali com uma amiga querida e todo aquele tempo que ficamos quase sem nenhum tipo de contato simplesmente não tinha valor nenhum. Entre nós, era como 6 dias, ou 6 minutos.

Nenhum receio, nenhum estranhamento, nenhum distanciamento.

Acredite, tempo não é linear. Basta vc saber olhar para o tempo pelas sensações que vc tem, não pelo calendário, ou pelo relógio. Tempo é simultâneo. E eu gosto que seja assim. :)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget